Você sabe o que é Responsabilidade Solidária?

Ligado . Publicado em Notícias

capa resp solid

Para uma empresa o momento de aquisição de mercadorias é extremamente importante e é comum criar laços de parcerias com possíveis fornecedores, pois é nesta fase que o departamento de compras buscará o melhor custo-benefício em produtos e marcas para oferecer aos seus consumidores e manter-se competitiva no mercado.

Esta fase deve ser bem analisada para que possíveis custos adicionais não sejam uma surpresa desagradável para a sua empresa, principalmente quando se trata de aquisições com fornecedores de outros estados. Mas como assim? Pode ocorrer da empresa ser cobrada de um tributo de uma compra sua cuja responsabilidade, em princípio, seria do fornecedor que é de outro estado, isso é chamado de Responsabilidade Solidária.

Neste post vamos compreender o que é reponsabilidade solidária é o que o empresário pode fazer.

Conforme o Artigo 264 do Código Civil, a responsabilidade solidária ocorre quando em uma mesma obrigação houver mais de um responsável pelo seu cumprimento, sendo assim, pode o credor exigir o cumprimento da obrigação de ambos os devedores ou de apenas um deles, cabendo aquele que cumprir a obrigação o direito de regresse contra o devedor solidário.

Vamos a um exemplo prático: Suponha que os produtos que você adquire estão sujeitos ao regime de recolhimento do ICMS-ST, pode então o sujeito ativo (esfera de governo - Estado, Município, DF e União) exigir a cobrança da obrigação fiscal de qualquer um dos sujeitos passivos (fornecedor ou comprador).

O que muitas vezes ocorre é da empresa não se preocupar com a substituição tributária do ICMS na compra e ser pego de surpresa pela cobrança destes tributos por achar, ou ser orientado incorretamente, que essa responsabilidade era apenas do fornecedor. Isso esta totalmente incorreto.

O contribuinte que efetuar vendas de mercadorias sujeitas ao regime de substituição tributária, deverá solicitar inscrição especial no cadastro de contribuintes do ICMS do Estado. No caso de vendas esporádicas, poderá efetuar o recolhimento do ICMS ST a cada operação, por ocasião da saída da mercadoria por estabelecimento, por meio de Guia Nacional de Recolhimento de Tributos Estaduais - GNRE, nos bancos autorizados, devendo uma via deste documento acompanhar o transporte da mercadoria. 

Os Estados adotam como prática solidarizar o destinatário quando o remetente substituto descumprir esta obrigação, por isso é importante esta conferência. Mesmo quando o remetente possui inscrição auxiliar no Estado de destino, é preciso ficar atento ao recolhimento mensal, mas este último ponto é discutível judicialmente, pois o destinatário não tem como exigir a declaração mensal da empresa e comprovações de recolhimento, fato este que nos parece uma solidarização abusiva pelo Fisco de destino.

Para não ser pego de surpresa, o adquirente deve consultar o produto pelo NCM no CONFAZ para verificar a existência de convênios e protocolos, além de verificar nas agências da Receita Estadual das Unidades Federativas envolvidas na operação. Não é possível cobrar o fornecedor o valor principal da ST que, em princípio, seria de responsabilidade dele, pois o adquirente reembolsa o remetente substituto, que apenas tem o dever de apurar e recolher o valor do tributo, em seguida no total da NF cobrar do destinatário. Em caso de descumprimento, a multa, juros e correções, podem ser objeto de cobrança regressiva do remetente, porém com a comprovação de que o remetente seria o substituto tributário, possuidor de acordo com o Estado de destino.

É importante a elaboração de um estudo minucioso dos Estados de compra, bem como a existência de acordos ou não e as precauções de controle no recebimento das mercadorias, verificando se existem guias de recolhimento pagas.

Produtores Rurais poderão emitir a NF-e com CPF

Ligado . Publicado em Notícias

modelo para imagens de capa

Com o objetivo de facilitar as emissões de notas fiscais para os produtores rurais, a Secretaria da Fazenda (Sefaz) através da nota técnica Nota Técnica 2018.001 permitirá a emissão da NF-e por uma pessoa física, isto é, com um CPF ao invés de um CNPJ. Com isso não será mais necessária a emissão das Notas Fiscais Avulsas (NFAe) direto na Sefaz.

A norma deixa claro que não é possível a emissão de NFC-e por uma pessoa física e o estado ainda pode decidir se vai ou não permitir a emissão por um aplicativo do contribuinte, disponibilizando a emissão apenas da Nota Avulsa, direto em seu site.

O produtor deve então checar se existe uma legislação estadual proibindo a regulamentação desta Nota Técnica.

O que é necessário?

  • CPF vinculado a uma Inscrição Estadual: Isso permite que as operações internas, interestaduais ou ao exterior possam ser devidamente registradas pelos produtores rurais.
  • Certificado Digital: O contribuinte deverá utilizar um certificado e-CPF. Este certificado deverá ser emitido dentro do padrão ICP-Brasil e ter o OID (object identifier) igual a 2.16.76.1.3.1.

Prazos para os estados conforme a Sefaz:

  • 01 de Agosto de 2018 em ambiente de homologação; e
  • 01 de Outubro de 2018 em ambiente de produção.

Ainda não conhece as soluções da Atual Sistemas? Entre em contato com a nossos consultores pelo 0800 888 2777 ou pelo O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e conheça todas as vantagens que podemos oferecer ao seu negócio.

Como aumentar as Vendas no Varejo?

Ligado . Publicado em Notícias

dica vendas

Vender é um dos processos mais importantes para uma empresa, pois através dela aumentamos o faturamento para continuar investindo, pagar despesas, colaboradores, fornecedores e obter o lucro do negócio.

Listamos neste material 10 dicas para ajudar a sua empresa a alavancar as vendas:

1 FOCALIZE SEU PÚBLICO ALVO

Não tente abraçar o mundo. Quem acaba querendo agradar todo mundo, acaba não agradando ninguém.

Quem é o seu público? Quem precisa dos seus produtos ou serviços? Estas são perguntas que todo empresário deve se fazer e a resposta delas é o seu público alvo. É nele que a empresa deve direcionar seus esforços de vendas de modo mais eficiente.

2 CONHEÇA O PERFIL DO SEU PÚBLICO

O público alvo é um grupo específico de consumidores que compartilham um perfil semelhante. Conhecer este perfil é vital para o sucesso das suas estratégias de venda, então, pesquise sobre o comportamento de compra, hábitos de consumo, classe social, preferências, interesses, o que valoriza, o que o torna satisfeito e outras informações que possam lhe oferecer uma descrição completa.

Quando você conhece o seu potencial cliente, mais facilmente você conseguirá ajuda-lo e maiores são as chances de vender a sua solução, além de um melhor relacionamento com ele.

3 CONHEÇA E ACREDITE NO SEU PRODUTO

Estude e conheça todos os produtos e serviços que você comercializa, desta forma torna-se mais fácil ajudar um cliente na hora da decisão da compra.

A primeira pessoa a comprar seu produto deve ser você mesmo. Se nem mesmo o próprio vendedor acreditar na solução que o produto tem para oferecer, com certeza será muito difícil fazer com que alguém acredite nele.

4 OFEREÇA UM ATENDIMENTO IMPECÁVEL

Quem não gosta de ser atendido em um ambiente agradável por pessoas simpáticas, bem apresentáveis, que entendam e saibam resolver o seu problema?

Um bom atendimento ao cliente é indispensável e é uma das maneiras mais eficientes de ampliar as vendas.

5 CAPACITE SUA EQUIPE E OFEREÇA UM CLIMA ORGANIZACIONAL FAVORÁVEL

Um ambiente agradável e harmônico é sinônimo de maior produtividade. Investir em pessoas não é mais um diferencial, e sim necessidade de sobrevivência. Empresas que investem no fator humano e no clima organizacional apresentam melhores resultados. A propósito, qual é a frequência que você treina sua equipe de vendas?

6 INCENTIVE SUA EQUIPE DE VENDAS

Por que seu vendedor venderá mais?

Analise na perspectiva de vendedor e busque o que pode lhe fazer mais motivado a vender. Crie programas de incentivo para a sua equipe de vendedores com metas somadas a benefícios e bônus. A premiação pode ser de simples brindes mensais até bônus anuais para aqueles que tiverem um desempenho excepcional. Tente isso e se surpreenderá.

7 OFEREÇA SERVIÇOS ADICIONAIS OU COMPLEMENTARES

Tente agregar serviços ao seu negócio, como entregas com hora marcada, treinamento para produtos especiais e demonstração de produtos em domicílio. Ideias criativas que geram valor ao negócio, sempre trazem muitos resultados.

8 TENHA PRESENÇA DIGITAL

De acordo com o IBGE (2017), mais de 120 milhões de brasileiros estão conectados à internet, o Brasil é o 4º pais com mais acesso a grande rede, ficando atrás apenas dos Estados Unidos, Índia e China.

A TNS Research International apontou que 90% dos brasileiros costumam consultar na internet antes de fazer uma compra.

Segundo o Facebook (2016), 102 milhões de brasileiros se conectam todos os meses. Veja a seguir o relado publicado pela equipe do facebook:

“Em um lugar onde há tantas pessoas como o Facebook, pequenos, médios e grandes negócios também começaram a marcar presença. Hoje contamos com 3 milhões de anunciantes ativos ao redor do mundo que viram seus negócios crescerem — e suas vidas transformadas — graças ao poder de escala e segmentação de nossa plataforma, que permite chegar exatamente no público-alvo que interessa às marcas.

A conexão entre pessoas e marcas funciona. Prova disso é que 99% das pessoas no Facebook afirmam que leem as publicações das marcas no Facebook, segundo nossos dados internos de agosto de 2015. Desses, 68% destacam acessam nossa plataforma para descobrir novos produtos. Isso nos faz acreditar que estamos no caminho certo da conectividade e mobilidade para todos.”

Sem falar do Instagram, Twitter, Whatsapp e outros. Isso não quer dizer que você precisa de um perfil para todas essas redes sociais, porém para muitos, se você não esta lá, você não existe. Então, selecione uma ou duas ferramentas sociais e seja ativa. Poste regularmente e interaja com as pessoas.

9 MONITORE O MERCADO E A CONCORRÊNCIA

Você está por dentro de todas as novidades sobre serviços e produtos da área de atuação da sua empresa?

Esteja atendo para se adequar as novas realidades do mercado para ganhar espaço e sair na frente. Não deixe de acompanhar os passos da concorrência: compare seus diferenciais, preços, ofertas e outros.

10 INVISTA EM TECNOLOGIA

Diante de um mercado tão competitivo, manter uma empresa rentável e em constante expansão não é algo fácil, em razão disso o uso de ferramentas tecnológicas é indispensável para manter a organização dos negócios e facilitar a execução de tarefas rotineiras dos colaboradores e também da própria gestão.

O aumento da produtividade é fator chave quando falamos dos benefícios da tecnologia no ambiente de trabalho. Ela ajuda os colaboradores a reduzirem o tempo gasto com tarefas simples para se concentrarem na criação de estratégias.

Para ampliar a sua força de vendas conheça as vantagens do Integra Mobile e ofereça informações precisas e no momento certo para a sua equipe de vendas.

Seguindo essas dicas o seu negócio tem tudo para alcançar o sucesso. Depois da venda, é a hora de realizar o pós-venda para saber o quão satisfeito seus clientes estão e principalmente fideliza-los a sua empresa (saiba mais sobre como fidelizar seus clientes).

Preparado para aumentar as vendas da sua empresa?

O Código CEST agora é obrigatório para o Varejo. Como devo utilizar?

Ligado . Publicado em Notícias

capa materia cest

A obrigatoriedade de inclusão do código CEST (Código Especificador da Substituição Tributária) aos poucos vem sendo incorporadas nas notas fiscais eletrônicas e ECF.

Em 2017 a obrigatoriedade começou em 1° de julho com as indústrias e importadores, seguido dos atacadistas em 1° de outubro e em 1º de abril deste ano (2018) a obrigação alcançou todos os outros segmentos econômicos.

O que é o código CEST?

Para compreender a utilização do CEST, primeiro você precisa entender o NCM - Nomenclatura Comum do Mercosul.

O NCM é um código de identificação de mercadorias que transitam entre os países do Mercosul  e entre os estados brasileiros para definir as alíquotas de impostos , seja por importação e exportação ou para a aplicação da substituição tributária, reduções ou isenções de impostos nos produtos.

Por ser um código muito abrangente, o NCM acaba englobando produtos com tributações diferentes em um mesmo código e foi assim que surgiu o CEST - Código Especificador de Substituição Tributária, para separar dentro de um mesmo NCM os produtos que tem ou não a substituição tributária de ICMS.

O código CEST é composto por sete dígitos, sendo que os dois primeiros correspondem ao segmento da mercadoria, os três seguintes ao item dentro desse segmento e os dois finais a especificação do produto.

Estou obrigado a usar o CEST?

Se você utiliza ECF, NF-e ou NFC-e e algum dos seus produtos comercializados estiver descrito na tabela do convênio ICMS 92/15 então você precisa usar o CEST para este produto.

Preciso classificar todos os meus produtos manualmente?

Se você utiliza o Integra da Atual Sistemas, fique tranquilo, pois oferecemos ferramentas para facilitar esta classificação, além de poder contar com a ajuda de nosso suporte técnico online ou presencial.

Ainda não é cliente da Atual Sistemas? Entre em contato agora mesmo pelo 0800 888 2777 e receba uma demonstração gratuita de nossas soluções.

Certificação

logos  

 

 

Informativo

Cadastre-se para receber nossas notícias.

Relações Comerciais

Rua Izídio Borgo, 43 | São Gabriel da Palha
Ed. Green Center, Sala 201 - Centro
0800 888 2777

Download | Sistema para Suporte Online